Ponto Final - Endureceu
- Atualizado em 11/10/2017 23:22
Endureceu
A Prefeitura de Campos endureceu o discurso diante desta questão dos transportes. E não era sem tempo. Quer que 100% da frota volte a circular. Se isso não acontecer, irá acionar o comando da Polícia Militar para garantir o direito de quem quer trabalhar e, principalmente, da população. Em reunião realizada ontem, na sede da Prefeitura, o secretário da Transparência e Controle, Felipe Quintanilha, afirmou que será depositado em juízo, segunda-feira, o valor devido aos consórcios referente a setembro. Porém, ele será destinado ao pagamento dos rodoviários.
Trégua aparente
Após diversos impasses envolvendo a paralisação dos motoristas e cobradores em Campos, ontem alguns ônibus começaram a circular. Os veículos da empresa Siqueira começaram a circular logo pela manhã e os da São João, na parte da tarde. No entanto, os veículos das empresas Turisguá, Rogil não haviam retornado até a noite de ontem. Sem contar a São Salvador que está parada desde o último dia 3. Vale destacar que a volta ao trabalho só aconteceu após a Justiça do Trabalho conceder liminar determinando o retorno de 60% da frota dos ônibus.
Posicionamento
A Prefeitura de Campos chegou a informar em nota que, desde o início do ano, já foram repassados cerca de R$ 22,6 milhões aos consórcios pela Prefeitura, correspondentes à passagem social de janeiro a agosto. O presidente do Instituto Municipal de Trânsito e Transportes (IMTT), Renato Siqueira, chegou a considerar a paralisação como ilegal, uma vez que não foi informada ao sindicato com antecedência.
Trabalhos
Mais uma vez, e pela terceira consecutiva, não houve sessão na Câmara de Campos. Enquanto na terça, apenas nove compareceram, ontem foram 10. Da bancada de oposição, estavam no plenário só dois: Thiago Ferrugem e Linda Mara Silva. Thiago Virgílio, que reclamou bastante na terça, chegou um pouco depois, quando a chamada já havia sido feita. De acordo com o regimento, é preciso apenas uma chamada. Se a bancada de oposição estivesse, os trabalhos aconteceriam.
Cobrança nas redes sociais
De qualquer jeito, está pegando mal. Nas redes sociais, são várias as reclamações daqueles que pagam os salários dos vereadores, sejam de quaisquer bancadas: A população. Um exemplo é Ayrão Carvalho, que postou: “Se um trabalhador falta o serviço é descontado o seu dia, os políticos que faltam sessões no mínimo deveriam acontecer o mesmo. Eu pago meus impostos, a população idem; nossos empregados estão fazendo o que quer como se o nosso dinheiro não pagam seus salários. Reflitam independente das posições, estamos sendo lesados. Vamos renovar o contrato destes servidores públicos no próximo pleito?”
Pela aprovação
O reitor da Universidade Estadual do Norte Fluminense (Uenf), Luís Passoni, tem defendido a aprovação da PEC 47, que deverá ser votada na Assembleia Legislativa do Rio de Janeiro (Alerj) ainda neste mês de outubro. O objetivo da proposta de emenda é incluir a Uenf e a Uezo no artigo 309 da Constituição Estadual que, atualmente, prevê transferências mensais, em duodécimos, apenas para a Universidade Estadual do Rio de Janeiro (Uerj). Caso seja aprovado, será mais um alívio para as contas da universidade que tem vivido um momento grave de crise financeira.
Dia das Crianças
O Isecensa, através do projeto HumanISE, levou alegria e diversas atividades, ontem, à Unidade de Internação Pediátrica do Hospital Plantadores de Cana, em comemoração ao Dia das Crianças. Durante a visita, as crianças participaram de contação de histórias e foram presenteadas com livros e presentes surpresas. Na ocasião, a equipe formada por estudantes e professores do curso de Enfermagem ainda fez a entrega de polvos de crochês utilizados na UTI Neonatal. Com isso, as crianças internada nos Plantadores de Cana puderam esquecer um pouco a dor e se divertir num dia dedicado a elas.

ÚLTIMAS NOTÍCIAS